quinta-feira, 8 de outubro de 2015

De mal com seu ancestral não!


Uma pessoa surge do nada
Sorrindo, falando, olhando
O tempo se fecha
E não sei nem do que se tratava
Mas provoco trovoada
Bloqueio-me por medo
Ignoro-a sem saber
Impaciente, transformo-me em:
A pessoa mais antipática do mundo!

Por que tudo isso?
Mal a conheço
Mal conversei
Mal a olhei

Ás vezes não nos permitimos conhecer o outro por pura preguiça, preconceito e intolerância cultural
Tudo que é novo incomoda
Tudo que é diferente há um estranhamento
Tudo que não se explora se limita

Imagino quantos papos bacanas podemos ter perdido
Quanta troca de informação
Quanta visão diferente de mundos e de pessoas...
Somos engessados e acomodados!

Ah, vivendo que se descobre...